Oct27

Os mais belos e encantados Castelos de Portugal

Circuitos Dicas Escapadelas Fotografia Fugas Românticas

Os mais belos e encantados Castelos de Portugal

Longe dos tempos de Guerra, os Castelos são construções majestosas, vigilantes no horizonte, lugares mágicos, de mitos e lendas há muito perdidos no tempo, pousos românticos que nos fazem lembrar as histórias encantadas de príncipes e princesas, de bruxas e dragões.

Dito isto decidimos criar uma lista, onde constam, aqueles que achamos ser os mais belos Castelos de Portugal.

1 – Castelo de Almourol

Localizado sobre um ilhéu granítico no meio do Tejo entre Vila Nova da Barquinha e Tancos, ergue-se um dos mais belos castelos de Portugal, o Castelo do Almourol.

Com uma fundação anterior à ocupação Romana o Castelo foi reconstruído em 1171 por iniciativa de D. Gualdim Pais, Mestre da Ordem dos Templários, tendo sido de grande utilidade aquando a Reconquista Cristã aos Mouros.

Após a extinção dos Templários, D. Dinis entregou o castelo à Ordem de Avis, perdendo assim a sua importância como ponto estratégico militar.

Ao Castelo também se encontram ligadas várias lendas, uma das quais refere que:

“Em tempos que já lá vão, no Castelo de Almourol, vivia D. Ramiro, um nobre godo, com a sua mulher e uma filha única chamada Beatriz. D. Ramiro era um chefe guerreiro com fama de impiedoso e cruel. Um dia, no caminho de regresso a casa, já próximo do seu castelo, avistou duas belas mouras, mãe e filha, transportando água numa bilha. D. Ramiro pediu-lhes de beber, mas as mouras assustaram-se e deixaram cair a bilha de água que se partiu. Furioso, D. Ramiro matou-as com a sua lança. Antes de morrer, a moura mais jovem amaldiçoou o cavaleiro cristão e toda a sua descendência. O irmão da rapariga moura assistiu horrorizado às mortes. D. Ramiro levou o jovem mouro como escravo para o castelo e pô-lo ao serviço de sua filha Beatriz. O mouro jurou vingar-se da morte das mulheres da sua família. Passados alguns anos, cumpriu-se a primeira parte da vingança: a mulher de D. Ramiro morreu envenenada. D. Ramiro, cheio de desgosto, resolveu ir combater os infiéis deixando Beatriz à guarda do mouro. Beatriz e o mouro apaixonaram-se perdidamente.

Um dia, D. Ramiro voltou ao seu castelo acompanhado pelo pretendente à mão da sua filha. Perante a situação, o mouro resolveu contar a Beatriz a história da sua desgraça e as juras de vingança.A lenda conta que Beatriz e o mouro desapareceram e que D. Ramiro morreu pouco depois cheio de remorsos. Diz-se também que, na torre do castelo, no dia de S. João, ainda aparecem as almas do mouro e de Beatriz, com D. Ramiro de joelhos a pedir eterno perdão pelos seus crimes.”

Coordenadas: 39°27'43.1"N 8°23'02.0"W

Onde Ficar:

Dom João Hotel **** - Entroncamento – Só 27€ por Pessoa/Dia (Inclui Peq. Almoço Buffet + Snack) – Comprar Aqui

2 – Castelo de Monsaraz

É erguido sobre uma colina, tendo no horizonte o Alqueva e a tão característica paisagem alentejana que encontramos o Castelo de Monsaraz, na bela vila de Reguengos de Monsaraz.

Fundado por D. Afonso III e concluído por D. Dinis, o Castelo de Monsaraz teve um papel de grande importância durante a Reconquista Cristã aos Mouros, conservando-se intacta a sua torre de menagem.

Durante o séc. XVIII, ergueram-se fortificações à volta da vila. 

Coordenadas: 38°26'31.6"N 7°22'51.9"W

Onde ficar:

Hotel Rural Horta da Moura **** - Monsaraz – Desde 35€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição + Bebidas + Actividade) – Comprar Aqui

3 – Castelo de Marvão

É na pacata e pitoresca Vila de Marvão que encontramos um dos mais importantes castelos de Portugal, o Castelo de Marvão.

Localizado sobre a fronteira com Espanha, o Castelo foi desde tempos imemoriais uma estrutura militar de extrema importância na defesa do território nacional.

Tomado aos Mouros em 1166 por D. Afonso Henriques, a sua valia estratégica valeu-lhe várias remodelações, primeiro por D. Sancho II, o qual concedeu foral à vila em 1226, com o intuito de manter este ponto avançado, povoado. No entanto foi com D. Dinis que se empreendeu às grandes obras de ampliação e remodelação.

Coordenadas: 39°23'48.9"N 7°22'47.5"W

Onde Ficar:

Hotel Castelo de Vide *** - Castelo de Vide – Só 20,50€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Bar) – Comprar Aqui

Hotel Sol e Serra *** - Castelo de Vide – Só 25€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Jantar) – Comprar Aqui

4 – Castelo de Sines

É debruçado sobre o Oceano Atlântico, na Costa Vicentina, em Sines, que encontramos o Castelo de Sines.

Antiga fortificação Muçulmana, o Castelo de Sines, foi refeito em 1217 pela Ordem de Sant’Iago, tendo sido reestruturado posteriormente por D. Manuel. Aqui terá nascido o Navegador Vasco da Gama.

Coordenadas: 37°57'19.2"N 8°51'58.2"W

Onde Ficar:

Monte da Lezíria Hotel Rural *** - Vila Nova de Santo André – Só 25€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço) – Comprar Aqui

5 – Castelo de Évora Monte

É num dos pontos mais elevados da Serra de Ossa, no distrito de Évora, que se ergue o Castelo de Évora Monte. Construído no Séc. XII, este castelo foi tomado aos Mouros por Geraldo Sem Pavor.

Após tentativas falhadas de manter um povoamento à sua volta, em 1306, D. Dinis, ordenou a fortificação da vila, restando actualmente a cerca amuralhada e as portas dionisinas.

Com a subida ao trono de D. João I, o Castelo passou para a posse de D. Nuno Alvares Pereira, com D. Manuel I, é erguido o Paço fortificado, com quatro torreões cilíndricos.

Nos anos 30 e 40 do séc. XX, são feitas as primeiras obras de restauro.

Coordenadas: 38°46'18.6"N 7°42'58.4"W

Onde Ficar:

Hotel Dom Fernando *** - Évora – Só 35€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição + Bar) – Comprar Aqui

6 – Castelo de Palmela

Localizado na Península de Setúbal, sobre uma colina da Serra da Arrábida, de onde se avistam as águas límpidas e cristalinas do Sado e ao longe, bem ao longe ao longo da linha do horizonte, o mar e as terras de além Tejo, encontramos o Castelo de Palmela.

Este castelo em prontidão, agora sobre uma atmosfera de calmaria, foi em tempos palco de sangrentas batalhas, de conquistas e reconquistas, aos exércitos berberes, tendo sido por inúmeras vezes danificado violentamente.

Doado à Ordem de Sant’Iago da Espada por El Rei D. Sancho I, o castelo foi alvo de constantes melhoramentos e remodelações pelos sucessivos monarcas até ao séc. XVII, conferindo-lhe um traçado arquitectónico riquíssimo, onde podemos contemplar vários estilos, desde o Românico, passando pelo Gótico até ao Manuelino.

Coordenadas: 38°33'58.0"N 8°54'04.0"W

Onde Ficar:

FPalmela, Aldeamento Turístico de Palmela *** - Águas de Moura – Só 32€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição + Bar) – Comprar Aqui

7 – Castelo de Alcácer do Sal

Elevando-se a 60 m, sobre a anterior região de Salácia, actual Alcácer do Sal, na margem setentrional do Rio Sado, encontramos o Castelo de Alcácer do Sal.

Sofrendo várias ocupações ao longo dos séculos, os povos bárbaros que aqui habitaram conferiram-lhe uma grande importância estratégica, tendo sido conquistado no séc. VII pelos mouros.

Palco de gloriosas batalhas, o castelo foi alvo de conquistas e reconquistas, tendo sido reconquistado a titulo definitivo por D. Afonso II.

Durante a crise de sucessão (1383-85), este castelo alinhou pelo partido do mestre de Avis, futuro rei D. João I, estacionando aqui tropas comandadas pelo condestável D. Nuno Álvares Pereira.

No século XV, o castelo registou alguns episódios importantes ao longo dos reinados de D. João II e de D. Manuel I. No interior das suas muralhas, o Príncipe Perfeito foi informado da conspiração que lhe preparava o duque de Viseu.

Desactualizada e pouco vocacionada para a arte da guerra piroblástica, o Castelo acabou por ter um revés face às tropas de Castela de D. Filipe II.

Coordenadas: 38°22'22.5"N 8°30'50.0"W

Onde Ficar:

Hotel do Sado Business & Nature **** - Setúbal – Só 42,50€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição + Bar/Bebidas) – Comprar Aqui

8 – Castelo de Óbidos

Originalmente erguido pelos romanos e mais tarde sobre domínio muçulmano, o Castelo de Óbidos, localiza-se na centenária e medieval vila de Óbidos.

Reconquistado aos Mouros em 1148, o castelo foi alvo de várias remodelações iniciadas por D. Manuel I, sendo o seu traçado arquitectónico, representado pelo estilo manuelino. Em 1755 o Paço sofre fortes danos provocados pelo terramoto.

Coordenadas: 39°21'47.9"N 9°09'25.1"W

Onde Ficar:

Hotel Rural Vila D’Óbidos Art Garden & Spa **** - ÓbidosSó 39,90€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Jantar Buffet + Bar/Bebidas + Lanche) – Comprar Aqui

Quinta da Azenha Óbidos - ÓbidosDesde 25,50€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição + Bar) – Comprar Aqui

9 – Castelo de Santa Maria da Feira

Implantado no topo de uma colina o Castelo de Santa Maria da Feira, é um dos castelos, cujo traçado original se encontra mais completo. A sua estrutura faz-nos lembrar os castelos que apenas pensávamos existir em histórias de encantar, de Reis e Dragões, de Príncipes e Princesas, alimentando a imaginação de miúdos e graúdos.

Antigo santuário pré-românico, lentamente foi sendo reconvertido numa estrutura militar, muito devido à sua posição estratégica. O seu senhor D. Ermígio Moniz, destacou-se como um dos nobres que alinharam pelo partido da independência do Condado Portucalense - sob a égide de D. Afonso Henriques.

Coordenadas: 40°55'15.1"N 8°32'33.6"W

Onde Ficar:

Aqua Hotel Ovar *** - ÓvarSó 32,50€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição) – Comprar Aqui

Hotel Meia Lua *** - ÓvarSó 22,50€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Snack) – Comprar Aqui

10 – Castelo de Penedono

É sobre um alto na localidade de Penedono que encontramos dos mais belos e singulares castelos de Portugal, o Castelo de Penedono.

As suas origens não são conhecidas com exactidão, mas segundo documentação histórica, as primeiras referências surgem no séc. X.

Durante as cruzadas o castelo foi conquistado e reconquistada inúmeras vezes, tendo ficado sobre alçada cristã a titulo definitivo por acção do rei leonês Fernando Magno.

Integrando o território do Condado Portucalense, Penedono servia como ponto de vigilância e defesa contra as investidas fronteiriças, vindas agora dos reinos de Castela e Leão

Durante a crise dinástica de 1383-85, Penedono aparece ao lado do mestre de Avis, tendo o seu alcaide, Gonçalo Vasques Coutinho, combatido valorosamente na Batalha de Trancoso, o que lhe valeu a promoção ao posto de marechal. Os descendentes da família Coutinho notabilizaram-se pelos seus feitos de armas, com realce para Álvaro Gonçalves Coutinho, "o Magriço", um dos doze cavaleiros de Inglaterra que ficaram imortalizados nas estrofes camonianas do Canto VI de Os Lusíadas.

Coordenadas: 40°59'25.2"N 7°23'39.7"W

Onde Ficar:

Moinhos Tia Antoninha – Moimenta da Beira Só 38€ Por Pessoa/Dia(Inclui Peq. Almoço + Refeição) – Comprar Aqui

Déje un comentario

Estás comentando como invitado.